“ Eu tô na minha cama. Você tá na sua cama. Um de nós está na cama errada.
ela encontrou a paz nesse rapaz

(Source: essenciar, via viverporqueavidanaopara)

“ Frio na barriga. Essa era uma porcaria de metáfora. Era mais como um tiro.
“ Eu não sou seu amor. Nem nunca vou ser. Larga meu braço.
“ O tempo passou, mas certas coisas ainda não mudaram. Me refiro a você, eu não consigo te esquecer. E por mais que isso me doa, eu ainda me importo. Eu não gostaria de estar passando por isso de novo. Desde o início de tudo eu já sabia que não duraria, mas eu simplesmente não consegui não me apaixonar, foi inevitável, e o tombo foi do tamanho do sentimento. O mesmo que me fazia dormir sorrindo todas as noites é o mesmo que rasga o meu peito ao meio todas as vezes que me lembro de você. Eu nunca imaginei que sentiria este gosto tão amargo outra vez, é terrível sentir saudades de alguém que nem se lembra da gente, não é verdade? Eu só queria te esquecer, ou ao menos não me importar tanto assim, eu não sei o que há de errado comigo. Eu respiro fundo e posso sentir o profundo vazio, os olhos se enchem d’água, e se alguém pudesse olha-los veria a sua imagem. Eu sei que tudo isso vai passar, pois eu aprendi bem que nada é eterno, ou talvez, apenas as lembranças. Minha cabeça está repleta de pensamentos, o que me resta é suportar tudo e esperar o dia em que tudo isso terá fim, digo: esta aflição sem fim, esta vontade confusa de te querer ao mesmo tempo em que luto para te esquecer, te colocar para fora da minha vida, por mais longe que você esteja, e por mais tempo que você já tenha me tirado da sua. Eu não sei o que mais pode me doer, só sei que eu não posso mais dizer que te amo, a única coisa que me resta é dizer agora que eu quero te esquecer.